Agronegócio

Segunda-feira, 09 de Julho de 2018, 12:04

Tamanho do texto A - A+

MUDANÇAS

Cuiabá precisava evoluir em termos de feira técnica e de negócios, afirmam autoridades no AgroMT

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Viviane Petroli/Mato Grosso Agro

AgroMT

 

Cuiabá busca a sua consolidação como capital do agronegócio. A cidade passa por uma verdadeira reformulação no que tange tal setor econômico. Não bastasse a reforma que o Parque de Exposições Senador Jonas Pinheiro vem passando, Cuiabá ganhou a partir desta segunda-feira, 09 de julho, o AgroMT, uma feira de negócios, tecnologia e informação voltada para produtores rurais e a sociedade em geral que busca conhecimento na área. Na avaliação do setor produtivo, especialistas e autoridades da política mato-grossense Cuiabá precisava evoluir neste setor.

A feira AgroMT não nasce com o intuito de substituir a tradicional Expoagro, que em 2018 chegaria a sua 54ª edição, de acordo com o presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires de Miranda. A feira, idealizada pelo ex-presidente da entidade Ricardo Arruda, é um ponta pé para as mudanças pela qual o Parque de Exposições de Cuiabá passa. Em 2019, o evento deverá ocorrer em um momento distinto da Expoagro.

“Fomos buscar um novo Plano Diretor para o Parque e hoje estamos realizando essa primeira edição do AgroMT. São cerca de 50 áreas experimentais e quatro tanques de piscicultura, porque a Baixada Cuiabana tem a produção de peixe como atividade também. Já estamos em obra aqui no Parque. Os canteiros estão consolidados. Vamos começar a reformulação do Centro de Eventos, Centro Equestre, entre outros”, pontuou Jorge Pires na abertura da feira.

O AgroMT segue em Cuiabá até quinta-feira, 12 de julho. Na avaliação do deputado federal Adilton Sachetti “já estava passando da hora de ter um evento como esse em Cuiabá. Precisava evoluir. A feira vem no sentido de levar discussões mais profundas aos produtores e à sociedade como um todo”.

A posição de Sachetti é a mesma de lideranças do agronegócio e da agropecuária mato-grossense. “Há muito se falava da necessidade de um evento como esse em Cuiabá com troca de informação, pesquisa”, disse Custódio Rodrigues, diretor-executivo da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat).

Segundo o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Marco Túlio Duarte Soares, “acho justo fazer um evento deste porte em Cuiabá, que é o centro nervoso de Mato Grosso. A pecuária se não houver tecnologia ela está fadada ao fracasso”.

Durante a abertura do AgroMT, o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Antônio Galvan, frisou que “está mais que comprovado que a Baixada Cuiabana produz soja e milho. O campeão do CESB Estadual veio de Poconé”.

Presente na solenidade de abertura e conferencista, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, reforçou a importância da tecnificação da atividade agropecuária. Maggi salientou ainda que pelo Brasil ter se tornando grande produtor de alimentos “começamos a incomodar” e que em decorrência a isso o país vem sofrendo restrições comerciais”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Preencha o formulário abaixo:

Leia mais sobre este assunto: