Agronegócio

Domingo, 10 de Junho de 2018, 11:32

Tamanho do texto A - A+

IMPACTOS DO DÓLAR

Mato Grosso vai continuar andando melhor que o resto do Brasil, diz Ricardo Amorim

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Viviane Petroli/Mato Grosso Agro

Ricardo Amorim

O economista Ricardo Amorim durante o encerramento do 13º Circuito Aprosoja, em Cuiabá.

O dólar na semana que passou chegou a bater pico de R$ 3,925. Para alguns a alta da moeda norte-americana pode ser positiva, mas para outros nem tanto. E quando se fala em agronegócio, Mato Grosso e o Brasil não é diferente. Segundo o economista Ricardo Amorim, as perspectivas para Mato Grosso diante toda uma situação de incertezas política são positivas, visto os impactos positivos proporcionados pelo dólar.

Ricardo Amorim foi o palestrante do encerramento do 13º Circuito Aprosoja em Cuiabá no último dia 04 de junho. Durante a sua palestra, o especialista afirmou que não tinha ideia do imbróglio que a greve dos caminhoneiros traria para o país. “Hoje, temos um governo fragilizado. A palavra que define o Brasil nos últimos anos é ‘crise’”.

O fechamento do Circuito Aprosoja em 2018 foi à segunda palestra ministrada por Ricardo Amorim no projeto desenvolvido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja Mato Grosso), que busca levar informação para os produtores rurais, além de trocar experiências e captar os anseios dos mesmos.

“Mato Grosso eu já dizia eu se tornaria o celeiro do mundo e que o agronegócio seria o impulsionador e é o que se vê”, disse Amorim durante a palestra.

Dólar e seus impactos

Pouco antes de palestrar para uma plateia de mais de 600 pessoas no Cenarium Rural, no encerramento do 13º Circuito Aprosoja, Ricardo Amorim (confira vídeo abaixo) pontuou que um dos grandes problemas no Brasil, que levam o país a estar nessa situação, são as contas públicas que já iam de mal a pior e agora pioraram. Além disso, a incerteza política e o que vai acontecer em outubro deste ano são outros impactos.

“Uma das razões que eu dizia que aqui no Mato Grosso as perspectivas são melhores do que para o resto do Brasil é que uma das características ou consequências na incerteza política é a alta do dólar”, frisou Amorim.

Segundo o economista, o dólar no mundo está subindo em decorrência ao aumento das taxas de juros nos Estados Unidos, o que tem levado muitas pessoas a “levar” dinheiro para o país norte-americano. Outro fator, e que impacta no caso no Brasil, é a incerteza política brasileira. “Ninguém sabe o que vai acontecer e muita gente para se proteger tenta tirar o dinheiro do Brasil”.

Confira vídeo com entrevista concedida pelo economista Ricardo Amorim à jornalistas antes do 13º Circuito Aprosoja:

Avalie esta matéria: Gostei +4 | Não gostei