Comércio

Sábado, 25 de Maio de 2019, 10:06

Tamanho do texto A - A+

EM MATO GROSSO

Fecomércio afirma que carga tributária tem que ser baixada com urgência

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

A classe empresarial do comércio, assim como a da indústria, afirma haver uma necessidade "urgente" de redução da carga tributária em Mato Grosso. Uma diminuição do percentual cobrado em impostos, segundo empresários, possibilitaria a realização de investimentos e com isso se teria no Estado aumento da geração de emprego, renda e consequentemente na arrecadação por parte do Poder Executivo.

“Com a diminuição da carga tributária dentro do estado, o governo consegue arrecadar mais dinheiro”, enfatizou na semana que passou o presidente da Federação do Comércio de Mato Grosso (Fecomércio-MT), José Wenceslau de Souza Júnior, durante entrevista à uma rádio em Cuiabá.

Conforme o presidente da Fecomércio-MT, gerar emprego, renda e riquezas para o Estado de Mato Grosso é um dos maiores desafios da classe empresarial diante a alta carga tributária imposta pela administração pública.

“Os consumidores de Mato Grosso preferem comprar em outros estados, do que comprar aqui dentro e pagar bem mais caro pelo mesmo produto”, disse José Wenceslau de Souza Júnior, ao exemplificar com o setor ao qual atua que é o de materiais para a construção.

Tal situação dos materiais para a construção, salienta o presidente da Fecomércio-MT, oi resolvida mediante atitude tomada pelas entidades que representam o setor no estado – Acomac-MT e Sindcomac-MT – que conseguiram baixar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), de 17% para 10,15%, em 2010. “Esse diferencial de quase 7%, na ponta, representou uma redução no preço dos produtos em torno de 16% para o consumidor final”, disse Wenceslau, que afirmou ainda que a arrecadação do estado sobre o mesmo imposto aumentou 30%.

O comércio é um grande gerador de impostos para Mato Grosso. O setor arrecadou para o estado 66% do total de ICMS em 2018, segundo último balanço divulgado pela Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz-MT). Além disso, é disparado o maior gerador e mantenedor de emprego formal, com 400 mil empregos para o estado.


*Com informações Fecomércio-MT.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei